História
Saboaria e Perfumaria Confiança: a perpetuar aromas desde 1894

Confiança é um nome robusto, com raízes profundas. No caso da saboaria e perfumaria nascida em Braga, remonta aos finais do século XIX, mais concretamente a 1894. Portugal vivia momentos de incerteza e convulsão política. Os governos sucediam-se e a instabilidade económica acentuava-se, mas o saber e a tenacidade das gentes nortenhas sempre foi a mão que embalou o espírito empreendedor dos portugueses. Foi nesta época, a 12 de Outubro, sob a orientação da dupla Rosalvo da Silva Almeida e Manuel dos Santos Pereira, que a Saboaria e Perfumaria Confiança viu a luz do dia. Especializada no fabrico de sabão offenbach, não demorou a tornar-se em marca de referência no sector. Os portugueses, então como agora, confiavam na Confiança. Liderada por gente de ideias esclarecidas e vontade forte, nascia uma nova indústria, delicada e de requinte, com laivos artísticos, próprios para seduzir o público feminino. Ciência e arte de mãos dadas na criação de produtos assombrosos, para despertar emoções e experiências únicas.

Não obstante as dificuldades que foram surgindo, técnicas e financeiras, a Confiança logrou ganhar a preferência do público, entrando nos grandes centros populacionais do Norte. Com sangue suor e lágrimas, a marca impunha-se, ancorada na sua portugalidade, ciente de que a qualidade dos produtos que apresentava acabariam por vencer as adversidades comerciais que iam surgindo. O portfólio de produtos foi-se diversificando, as instalações foram crescendo e, pouco tempo volvido, a Confiança já era uma referência em termos de saboaria e perfumaria em Portugal. O fim da monarquia e as mudanças a que o mundo ia assistindo, em especial com a guerra mundial de 1914-18, faz com que a atividade da Confiança floresça, posicionando-se claramente "como o melhor que que se produz em Portugal”, ao mesmo tempo que desafia o fabrico estrangeiro, esbatendo de forma decisiva a ideia de que o que vinha de fora é que era bom. Entretanto já estendida a todo o Continente e Ilhas, a Confiança é o espelho do esforço nacional, vencendo, com arte e saber, o desafio de imaginar e fabricar beleza.

Com o pós-guerra, uma nova ordem mundial emerge, o que acaba por ter reflexos claros na actividade económica. Perante novas realidades, a Confiança redobra os esforços para se manter na ribalta, no sentido de satisfazer as exigências do meio e do tempo. Assim, em 1920, nasce a "Saboaria e Perfumaria Confiança”, no lugar da "Afonso, Almeida e Cª”, e poucos anos volvidos a empresa entra numa fase de forte expansão e prestígio. O apetrechamento industrial é então reforçado e o fabrico de saboaria fina e perfumaria incrementado, de tal forma que em 1928 já apresenta 150 marcas diferentes de sabonetes e uma grande variedade de outros produtos de cosmética como pó de arroz, cremes, pastas dentífricas, stiques para a barba, águas-de-colónia, loções e essências. Os produtos da Confiança ostentam orgulhosamente a sua marca, alguns dos quais com requintes técnicos absoluta e invejavelmente únicos. As décadas de 50 e 60 do século XX reforçam o estatuto da Confiança como marca de eleição dos portugueses. A produção mensal de aproximadamente três milhões de dúzias de sabonetes serve não só o comércio a retalho, mas também hotéis e outras empresas que exigiam fabrico próprio. É já nos anos 80 que a Confiança começa a desenvolver novos cosméticos, adaptando fórmulas e oferecendo novas soluções líquidas, como gel de banho ou champôs perfumados.

A preservação de uma marca com o prestígio, a qualidade e a história da Confiança tornou-se uma luta obrigatória, num mercado cada vez mais globalizado. Marca nacional por excelência, a Confiança é o repositório de mais de um século de saber e experiência, desde sempre presente no imaginário coletivo dos portugueses. É este património único que motiva a sua aquisição pela Ach Brito, em 2009. Os produtos Confiança entram então num segmento de charme e a tradição e almas portuguesas permanecem assim intactas, apesar dos tumultos. Leal às origens, respeito pelos métodos tradicionais e rigor na qualidade da manufatura, ainda com forte cunho manual, a essência da alma portuguesa continua a sentir-se hoje como então: de texturas e marcas, recordações e cheiros. Desde 1894. Com Confiança!